Buscar
  • Dra. Deise Miola

Existe biólogo de campo?

Eu tenho visto dezenas de profissionais no LinkedIn se auto rotulando como "biólogo de campo". Entendo que o objetivo deles é demonstrar que atuam na área ambiental, no meio do mato, colocando "a mão na massa". Acredito, no entanto, que essa definição é demasiado simplista e contribui para a desvalorização de um trabalho importantíssimo realizado por essa categoria profissional.


A atividade de campo é indispensável para o desenvolvimento de qualquer trabalho na área ambiental. Os profissionais que a realizam precisam ter, além de conhecimento técnico, disposição e preparo físico para suportar longas caminhadas sob sol, chuva, poeira, barro, carrapatos, pernilongos, dentre outros inúmeros incômodos comuns à atividade. Apesar das dificuldades, o contato com a natureza é, além de prazeroso, essencial para uma avaliação precisa e levantamento dos dados. Mas o trabalho não se resume a isso.


É em frente ao computador que o trabalho mais importante do biólogo acontece. É ali que ele tem condições de analisar os dados coletados e inferir sobre o passado, presente e futuro daquele ambiente onde esteve. É pela sua capacidade de estudo, análise e discernimento que ele pode sugerir as melhores alternativas para a resolução de um problema ambiental.


Mesmo para atividades que necessitam de uma jornada de campo bastante extensa, como é o caso dos resgates de fauna e flora, o trabalho de escritório se faz indispensável. De que adianta apenas resgatar um animal ou realocar uma planta ameaçada de extinção se não for possível medir a efetividade dessas ações? A documentação e análise dos dados desse tipo de trabalho são importantíssimos para que se possa avançar no desenvolvimento de metodologias e ações mais efetivas para a mitigação e conservação ambiental.


É por meio do trabalho intelectual que o biólogo deixa sua marca na sociedade. Por isso é essencial que ele desenvolva uma boa capacidade de comunicação oral e escrita. Em geral, é por meio de estudos e relatórios que suas contribuições vão ser apresentadas. E esse é o principal motivo pelo qual eu considero que "biólogo de campo" não existe. Ou ele é um biólogo completo, que faz o trabalho de campo e intelectual, ou é apenas um auxiliar de campo (mateiro). Você concorda comigo?


Deise T. B. Miola - Bióloga, PhD em Ecologia e CEO da Artemis Ambiental.

Publicado originalmente no LinkedIn.





16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo